Archive for the 'Na rede' Category

Sponsored Stories

Já escrevi anteriormente sobre o Facebook aqui. Falando principalmente como as empresas devem inovar e buscar a interação do usuário. E o Facebook tornou isso mais fácil.

O Sponsored Stories é o novo formato de publicidade da rede social mais querida do mundo.

Menções, check-ins, like, todas essas atividades no podem virar anúncios no seu mural. Ou seja, se você “curtiu” a página de algum produto, pode ser exibibo no seu mural “Zé curte Nike” mais alguma mensagem promocional.

Algumas marcas já aderiram a esse formato, como: Coca-Cola, Anheuser BuschPlayfish, mais ONGs como Malaria No More, Anistia Internacional, Women for Women, Autism Speaks, (RED), Alzheimer’s Association e UNICEF.

E se você não quiser fazer anúncios sem receber nada, não importa. O máximo que consegue é excluir o anúncio depois de divulgado em seu mural. Não há opção de não participar do sponsored stories. Mas o interessante desse formato é o fato de inserir a marca no nosso dia-a-dia. Se você “curtiu” determinada marca, fez check-in em algum lugar, é pq quer mostrar que usa ou gosta de determinado produto ou marca, sendo assim, nada mais justo do que promover isso.

[ATUALIZADO]

Vi hj no Brainstorm que a Nike já começou a utilizar o Sponsored Stories no Brasil.

http://www.brainstorm9.com.br/social-media/nike-estreia-sponsored-stories-do-facebook-no-brasil/

 

Rodolfo

Coca-Cola ensina o que é experiência de marca no mundo das redes

Como provocar uma experiência de marca efetiva, que se integre a forma como as pessoas se relacionam atualmente?

Esta ação da Coca-Cola em parceria com o Facebook aponta para a revolução nas experiências de marcas, e no uso que elas farão da rede daqui para frente. Provavelmente ainda pouco replicável em larga escala, e com algumas questões de privacidade a serem discutidas, não deixa de ser um case totalmente inovador.

Um ensinamento sobre experiência em 360 graus (confesso que em um local bastante inesperado para mim).

Vale assistir!

Banner Perfumado na Internet

A cada dia nos deparamos com um formato novo de publicidade online. São bonequinhos invadindo sites, peças interagindo com o conteúdo das páginas, vídeos, animações, jogos interativos, e por aí vai. A publicidade online, apesar de relativamente recente em comparação aos outros meios, já está saturada em seus formatos tradicionais (banners, squares, etc), e captar a atenção do usuário é um desafio cada vez maior.

A Natura, sabendo de tudo isso, encontrou uma solução bastante criativa para divulgar a nova essência de seu perfume masculino Kaiak na web, baseada na experiência olfativa. Em parceria com 15 Lan Houses de São Paulo, a empresa publicou um banner online, convidando os usuários a clicarem e conhecerem o novo perfume, literalmente.

Ao clicar no banner, o usuário era surpreendido com um pedaço de papel saindo da lateral do computador: tratava-se do próprio banner, com a essência do perfume. Veja o vídeo abaixo.

Apesar de ser uma ação conceito, impossível de ser replicada em altíssima escala, é um ótimo exemplo de inovação da experiência de marca na internet, e do desafio cada vez maior de se entregar esta experiência.

Ganha quem for mais criativo, e prezar sempre pela experiência do usuário!

Tatiana Capitanio

A experiência no Facebook

O Facebook cada vez mais está se tornando importante. Principalmente como mídia. E com isso cada vez mais aparente, cresce o número de empresas que procuram utilizar essa plataforma para divulgar seus produtos. Só que pensemos como isso pode afetar a empresa, tanto pro bem como pro mal. Democrático como é, o facebook permite que todas as opiniões sejam mostradas, se a empresa não estiver preparada pode sofrer diversos danos a sua imagem.
Aí que mora um ponto extremamente importante, que dependendo da visão, pode ser um problema ou uma grande oportunidade.  As empresas que atigem diretamente o grande público tem agora, a necessidade de “controlar” sua vida online. O que antes era restrito a site próprio, e um ou outro fórum sem muita repercursão está cada vez mais extendido com as diversar interfaces existentes. E como principais temos o facebook, twitter e agora também o fousquare.
Como o foco desse post é o facebook, vou tentar deixar o twitter um pouco de lado. Uma coisa interesante sobre essa vida social, é que a marca querendo ou não, estará presente na rede. Seja porque algum usuário gosta muito de determinado produto ou teve alguma experiencia ruim com a marca. Então, porque não tentar controlar essa presença e dar resposta aos consumidores, mostrar novidades e utilizar como ferramenta de aproximação? Medo.
A voz corporativa da empresa é algo muito complicado. Já tive uma experiencia no departamente de comunicação corporativa de uma grande empresa, e pelo que vi pessoalmente, é realmente muito difícil.  A empresa tem que ter em vista que possui diversos públicos a “agradar”, seja investidores, imprensa, consumidores, formadores de opinião, e com as informações cada vez mais disponiveis, um discurso coerente fica cada vez mais relevante.
Mas falamos muito sobre a importancia das redes sociais, mas agora a Nielsen Online quantificou como as ações nas redes sociais influem nas vendas e na imagen de marca. Alguns dados simples como o aumento de 8% da intenção de compra que aparecem nos comentarios pessoais do facebook, enquanto a lembrança de marca vai para 30%.
Ainda segundo o estudo, realizado entre 800.000 usuários e baseado na análise de mais de 125 campanhas, confirma que a lembrança, notoriedade e também a intenção de compra cresce proporcionalmente ao vinculo pessoal que o usuário mostre com esse produto ou marca.
Sendo assim, os anuncios que são realizados na página de início, que tenta captar a atenção do usuário, tem um menor impacto do que as entradas realizadas voluntariamente.
É preciso entender que comprar mídia social é muito diferente do que comprar uma mídia comum. É crucial entender que não apenas os anuncios que impactam, mas também os usuários que defendem e divulgam a marca voluntariamente são extremamente importantes na estratégia da marca.
O estudo é bem interessante, vale a pena dar uma olhada com mais calma.  Veja aqui
E exemplificando como as empresas estão tentando atingir isso, vou colocar algumas ações que vi nessa ultima semana e que me chamaram bastante a atenção.
Diesel
Chamada de Diesel Cam, é uma instalação que liga o Facebook ao ponte de venda, permitindo que o público faça fotos e publique em suas páginas do Facebook para que os amigos possam comentar. A instalação integra uma camera, uma tela touch e Facebook Connect. O funcionamente é bastante simples, o usuário faz as fotos, entra em seu perfil e pública as que mais gostar.
A Diesel Cam está disponível em duas lojas aquí na Espanha, uma em Madrid e outra em Barcelona.
Veja o vídeo da ação aqui.
Worten (Loja de produtos eletronicos portuguesa)
A partir de segunda-feira, dia 3 de Maio, alguns famosos em Portugal vão começar a testar os produtos incluídos na primeira experiência WortenLAB. Além de caras conhecidas outros 20 seleccionados (que se inscreveram previamente emwww.wortenlab.pt  ) irão experimentar um produto, colocando no Facebook os seus comentários e críticas.
O WortenLAB tem como objectivo lançar uma experiência virtual, na qual o cliente pode testar em casa, durante 30 dias, as novidades tecnológicas da Worten, partilhando ideias e críticas com a restante comunidade do Facebook.
Os produtos em teste são iPhone 3GS 32GB, PS3 Slim, LCD LED 3D Samsung 40C7000, Aparelhagem micro LG FA 164U e Máquina fotográfica Sony Alpha DSLR A380L.
McDonald’s
O Facebook prepara-se para adicionar o recurso de localização geográfica, que vai permitir aos utilizadores indicar de onde estão a atualizar o seu estado. Segundo a Adage o McDonald’s deverá ser a primeira empresa a aproveitar essa funcionalidade com a criação de uma aplicação pela que vai possibilitar que o utilizador informe a sua rede que está escrevendo de um restaurante da rede, mostrando a imagem de algum produto.
“Señoras que se peinan como sus hijas”
Um salão de beleza de Barcelona, iniciou uma camapanha para o Dia das Mães criando um grupo chamado “Señoras que se peinan como sus hijas”(Senhoras que se penteiam como suas filhas).
De seu perfil, esse salão para seus fãs, que postem em seu mural uma foto mostrando que se penteiam como suas filhas.
As cinco fotos com maior numero de votos no domingo dia 2 de maio (dia das mães aquí), ganharam um penteado para suas mães.
Acho que o mais interesante, além da democratização da informação, o Facebook é também uma ferramenta democrática para os anunciantes, onde o tamanho não é importante para uma ação eficiente.
ATUALIZAÇÃO
Vi hoje um artigo no ADWEEK que fala um pouco do que estava dizendo aqui. Bem interessante, vale a pena dar uma olhada.
Rodolfo

A evolução da arte de “Contar histórias”.

A arte de contar histórias faz parte da interatividade das marcas com o seu público. Uma história pode ser contada num filme publicitário, num texto, num livro, em uma experiência, em um jogo, ou em todos esses meios ao mesmo tempo. E não importa qual seja o roteiro previsto para essa história, cada um vai ter uma história diferente em seu contato com a marca. Seja pelo momento em que terá essa contato, seja pelo local ou pelas circunstâncias.

A história do ato de “Contar histórias” é contada por Elan Lee, um dos inventores dos “Alternate Reality Games” no vídeo abaixo:

A internet é o espaço onde diversas formas de mídia e interação podem estar juntas, e se tem uma coisa que os usuários de internet prezam é a liberdade, e quanto maior a liberdade de divulgação, interatividade e compartilhamento de opiniões e novas versões, menor é o controle que as marcas tem sobre a história que ela deseja contar. Isso de maneira nenhuma deve ser enxergado como fraqueza, pelo contrário, quem fizer as coisas de forma correta, para que o público realmente goste da experiência que está sendo proposta, terá sucesso dando ainda mais liberdade de escolha.

A conclusão é: quanto mais uma empresa tenta processar usuários por violação de direitos autorais, ou por compartilhamento de propriedade intelectual, maior será a sua rejeição. Como Elan Lee destaca, ainda estamos aprendendo a contar histórias pela internet. Ainda estamos fazendo experiências e não sabemos direito como ter sucesso, principalmente com as mídias sociais. E até agora, teve mais sucesso exatamente quem menos restrições colocou, e mais caminhos abertos deixou aos usuários. Terá sucesso quem não tentar dizer “o que isso é” ou “o que isso não é”.  Os “Alternate Reality Games” são um sucesso exatamente porque misturam mídias com a realidade, fazendo com que o jogador tenha experiências interativas, e sinta-se no controle da situação, como parte da ação, e não apenas como espectador.

Paulo Victor

Feliz Cocina y Baño Nuevo

A IKEA Espanha inicia uma campanha online bastante original, que é inteiramente baseada em uma experiencia real de um cliente: ganhar uma cozinha e um banheiro completos, enquanto era atendido por um funcionario em uma das lojas da marca.

No site www.IKEA.es/felizcocinaybañonuevo e também do canal do Youtube, é possivel ver o vídeo da ação, onde uma reporter mostra o momento em que o cliente fica sabendo do premio.

Além disso, a marca sueca, convida os consumidores a participar de um teste, e assim que completo, participa de um sorteio de 1.500 euros para serem usados em produtos IKEA.

Uma formula simples e extremamente eficaz, mostrando o quanto uma simples experiência pode ser importante e pautar toda uma campanha.

Rodolfo

Segredo da experiência na rede.

Estava fuçando na internet e me deparei com uma apresentação bastante interessante sobre os segredos de uma campanha bem sucedida nas redes sociais.

A apresentação é um pouco extremista, mas a realidade é a seguinte: a internet e as redes sociais são cada vez mais representativas e poderosas nas relações sociais e disseminação de informações, inclusive (se não predominantemente) entre os formadores de opinião. As grandes marcas, cientes disso, estão percebendo a importância de entrar na brincadeira. Porém, as ações e estratégias ainda soam como descobertas, acertos e erros. Muitos profissionais de comunicação, habituados com o raciocínio da propaganda tradicional, estão penando para acertar a mão da comunicação nas redes.

E essa é a mensagem que eu mais gostei da apresentação: é preciso pensar diferente, é preciso entender as pessoas e depois a plataforma. Na internet é antes o colaborativo do que o receptivo, antes o livre do que o imposto, antes a experiência do que a volume. A lógico é toda outra, e o desafio é entendê-la e criar uma experiência de marca relevante e inerente à experiência do usuário na rede.

Agora vejam a apresentação aqui e opinem. (peço desculpas pela tosquice, mas o slideshare está com problema o dia inteiro e não consegui inserir a apresentação diretamente aqui no post).

Tatiana



%d blogueiros gostam disto: